Balanço patrimonial: o que é e para que serve?

Balanço patrimonial: o que é e para que serve?

Os números estão presentes na rotina de qualquer empreendedor. Compras, vendas, pagamentos e outras inúmeras movimentações financeiras fazem parte do dia a dia das empresas. Ainda que, isoladamente, esses números não aparentem significar muito. Porém, quando analisados juntos, associados uns aos outros e organizados em relatórios, mostram-se essenciais para o negócio. O balanço patrimonial, por exemplo, um dos principais demonstrativos financeiros de uma empresa. Tem a finalidade representar a evolução do patrimônio total da organização em um determinado período de tempo e possibilita controle de custos e análises de evolução.

Apesar de ser um documento simples, demanda organização, já que deve haver um excelente controle do fluxo do caixa, e o auxílio de um contador de confiança. Se você quer conhecer um pouco mais sobre o Balanço Patrimonial, entender as suas funções e quando há obrigatoriedade em fazê-lo, continue lendo o artigo.

Quais são as funções?

O Balanço Patrimonial é responsável por uma avaliação qualitativa e quantitativa de qualquer empresa. Sendo uma das principais ferramentas para avaliar o posicionamento contábil e financeiro do negócio. Já que além do caixa, leva em consideração as propriedades, pagamentos a receber e dívidas.

Geralmente, esse balanço é feito sobre o período de um ano e deve ser produzido de maneira precisa e rigorosa. Tendo como objetivo auxiliar no controle do patrimônio eficientemente. Com ele também é possível: entender as fontes de recursos para os investimentos da empresa; observar a sua evolução histórica para o planejamento e ação futura; fornecer informações úteis para as partes interessadas e outros.

Qual é a estrutura do Balanço Patrimonial?

Os três principais elementos de um balanço patrimonial são os ativos, os passivos e o patrimônio líquido, que obedecem a fórmula: Ativos – Passivos = Patrimônio Líquido.

Os ativos se resumem a parte positiva do patrimônio, ou seja, o que a empresa possui, como bens, produtos em estoque, recursos aplicados e investimentos financeiros e tudo que pode gerar benefícios econômicos no futuro.

Os passivos compreendem as dívidas e obrigações financeiras do empreendimento. Seja com terceiros (prestadores de serviços, fornecedores), governo ou mesmo com seus funcionários.

Já o patrimônio líquido é a diferença entre os ativos e os passivos, que corresponde ao capital que a empresa possui em caixa. O ideal é que sempre haja ativos maiores que os passivos, e que este montante cresça positivamente a cada mês, acumulando e incrementando o patrimônio da organização.

Quando ele é obrigatório?

O Balanço Patrimonial é um documento obrigatório para basicamente todo tipo de empresa, excluindo-se apenas o Microempreendedor Individual (MEI). Caso não seja realizado, pode gerar impossibilidade de utilizar a informação para defesa de processos tributários, distribuir Lucro Isentos acima da Presunção, analisar o desempenho da empresa considerando a competência, visão que muitas vezes o Fluxo de Caixa não permite, e demais problemas.

Entendeu a importância de possuir o Balanço Patrimonial da sua empresa, independente do tipo de negócio, e de mantê-lo atualizado? Lembre-se sempre de procurar o auxílio de um contador para garantir que os seus demonstrativos contábeis fiquem sempre regulares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *