Como gerenciar o capital de giro de uma clínica médica

Como gerenciar o capital de giro de uma clínica médica

Gerenciar o capital de giro de uma clínica médica é, sem dúvidas, desafiador. Ao mesmo tempo, o bom funcionamento de qualquer empresa depende da sua saúde financeira. Se as receitas e despesas não estiverem organizadas, o empreendimento é prejudicado, e, eventualmente, pode ser obrigado a fechar as portas. Por isso, é essencial que haja controle por parte do empreendedor para que a fluidez dos ciclos de caixa seja garantida.

Mas, o que é capital de giro?

Apesar do termo ser bastante utilizado, o seu significado não é compreendido por todos. Entende-se por capital de giro o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para suportar as oscilações de caixa. Para isso, uma quantia deve ser considerada e imobilizada, inclusive no banco. Para clínicas médicas, pode ser necessário um capital de giro em torno de 20% a 30% do faturamento.

Com a definição esclarecida, veja como gerenciar o capital de giro de uma clínica médica com algumas estratégias.

Saiba administrar o fluxo de caixa

Tanto o capital de giro como o fluxo de caixa são itens básicos e muito importantes para a gestão financeira de uma clínica. Para que o dinheiro seja rentável, cabe a você cuidar dele. Registre as entradas e saídas de valores, garantindo que não aconteça um desequilíbrio entre os recebimentos e os pagamentos das obrigações do seu negócio. Quanto mais controle houver, menor é a necessidade de interferir no capital de giro. Opte também por fazer pagamentos à vista. Dessa forma, o valor da mercadoria costuma ser mais atrativo, possibilitando o aumento do estoque e, consequentemente, dos lucros.

Tenha cuidado com financiamentos bancários

Recorrer a um financiamento bancário para iniciar as operações em um consultório médico é muito comum. O dinheiro pode ser usado, por exemplo, para comprar à vista todos os equipamentos necessários para os atendimentos. Uma vez que, se parcelados, esses itens podem sair muito mais caros do que os juros de um empréstimo. Contudo, é importante prever com cautela quais são custos da operação e verificar se um financiamento realmente vale a pena, para que nada fuja do controle e a saúde financeira da sua clínica não seja prejudicada.

Faça uma gestão de custos dos serviços

A prestação dos serviços médicos fornece o lucro da clínica. Contudo, o pagamento de funcionários, o aluguel do espaço, as contas de energia, água e internet, os medicamentos e insumos utilizados e quaisquer outras obrigações financeiras do negócio devem ser descontadas desse montante. Assim, é possível ter uma base do lucro real e conferir se ele é suficiente para fornecer um crescimento sustentável do negócio a médio e longo prazos.

Não restrinja as opções de contas a receber

Uma outra dica para gerenciar o capital de giro de uma clínica médica de maneira eficiente é não restringir as opções dos pagamentos, ou seja, não estabelecer uma política de vendas somente à vista. Caso queira ampliar a carteira de clientes, aceitar parcelamentos é uma boa opção. Tanto para captar novos pacientes, quanto para impulsioná-los a realizarem mais procedimentos a cada visita. Contabilize os custos em cada parcela e faça uma experiência.

Este conteúdo foi esclarecedor para você? Então compartilhe nas suas redes sociais para que os seus amigos também tenham acesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *