5 dicas essenciais para um médico organizar as finanças

5 dicas essenciais para um médico organizar as finanças

Organizar as finanças de uma clínica médica ou consultório, geralmente, não é uma tarefa muito simples de ser realizada. Afinal, gestão, contabilidade e planejamento estratégico não fazem parte da grade curricular dos cursos de medicina.

Sendo assim, o profissional que constituí um negócio nessa área deve aprender como gerir e administrar suas contas para conseguir crescer e, principalmente, evitar sanções pelo descumprimento de alguma norma tributária.

No artigo de hoje, vamos dar 5 dicas simples para você conseguir organizar as suas finanças. Confira!

1. Tenha o controle do fluxo de caixa

Uma das tarefas principais é controlar a entrada e saída de recursos do seu consultório ou clínica. Esse processo é o que chamamos de fluxo de caixa.

Ao manter esse controle, você não corre o risco de ficar sem dinheiro suficiente para pagar alguma despesa extraordinária ou arcar com algum imprevisto. Além disso, ao fazer um bom controle de fluxo de caixa é possível programar-se para arrecadar mais recursos para algum gasto maior.

Uma das formas de ter um bom controle desses valores é utilizar uma ferramenta de gestão muito utilizada nas empresas, o Livro Caixa. Trata-se de uma metodologia para gerenciar as entradas e saídas de recursos da sua empresa.

Essa ferramenta é fundamental para garantir que o seu negócio não fique sem recursos para cobrir algumas despesas eventuais.

2. Separe finanças pessoais e profissionais

Outro ponto muito importante, geralmente negligenciado pela maioria dos médicos, é a separação das finanças pessoais e profissionais. Misturar essas duas coisas pode ter consequências graves, gerando prejuízos para você.

Se você recebe dinheiro da clínica em sua conta corrente, por exemplo, esse valor poderá ser utilizado para compor a base de cálculo do Imposto de Renda. Além disso, quando o profissional mistura as contas, fica muito difícil realizar um controle eficiente das receitas e despesas de um período.

3. Defina o seu pró-labore

O pró-labore é a remuneração do sócio que exerce algum trabalho na empresa. Ele precisa ser definido e retirado mensalmente, pois há uma previsão legal que exige que isso seja feito. Isso porque a Receita Federal entende que a distribuição de lucros constante aos sócios não é correta, devendo a remuneração ser feita por meio de pagamento de pró-labore.

4. Tenha uma reserva para emergência

Também é necessário constituir uma reserva para emergência. Isso evita que você tenha que passar por situações de aperto quando for necessário realizar um pagamento que não estava previsto.

Além disso, ter uma reserva também garantirá a você uma certa tranquilidade caso ocorra um período de baixa procura em sua clínica.

5. Faça um bom planejamento financeiro

Por fim, é importante que você elabore um bom planejamento financeiro para o seu negócio. Esse documento deve conter todas as estimativas de gastos que ocorrerão em um período, bem como as receitas que poderão surgir.

O planejamento financeiro servirá como um mapa para você saber exatamente para que direção deve levar a sua clínica durante o período. Dessa forma, você pode evitar imprevistos ou, pelo menos, conseguir passar por eles sem prejudicar muito o seu negócio.

Agora que já conhece todas essas dicas sobre como organizar as finanças do seu consultório ou clínica, não perca tempo e comece a aplicar cada uma delas. Para obter os resultados desejados, é necessário agir o quanto antes.

Gostou do nosso artigo? Que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Veja o conteúdo especial que preparamos para você. Nele, respondemos as 6 principais perguntas sobre contabilidade que os médicos fazem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *