Saiba como funciona a tributação na área médica

Saiba como funciona a tributação na área médica

Os médicos, assim como diversos outros profissionais, podem optar por trabalhar como empregados, autônomos ou constituindo empresa. A decisão deve ser feita mediante planejamento e, se possível, consulta a um contador. Uma vez que o faturamento, as despesas e as margens de lucro previstas influenciam diretamente na modalidade a ser escolhida. Entender como funciona a tributação na área médica, seja ela como pessoa física ou pessoa jurídica, é extremamente essencial.

Contudo, nem todo profissional tem conhecimento sobre os tributos referentes a sua atividade, podendo, inclusive, estar em desvantagem. Para saber mais sobre os impostos incidentes e os cuidados que os médicos devem ter ao escolher a modalidade tributária para exercer a sua função, continue lendo o artigo.

  • Livro Caixa

Quando o médico opta por faturar como pessoa física, ou seja, sem abrir empresa, a tributação ocorre por meio do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), sendo o profissional obrigado a elaborar o Livro Caixa.

Essa ferramenta é essencial para fins de imposto de renda. Especialmente para profissionais liberais e autônomos, já que nele são registrados todos os pagamentos e recebimentos.

Ao preencher o Livro Caixa, é possível deduzir algumas despesas, como salário de funcionários, contas de consumo de um consultório, gastos com materiais utilizados em procedimentos clínicos e outros.

Se a escolha for por abrir uma empresa, dependendo do tipo escolhido, o médico pode optar pelo Lucro Presumido, Lucro Real ou ainda o Simples Nacional.

  • Lucro Presumido

O Lucro Presumido é uma tributação mais simplificada. Em que a mensuração do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) tem como base uma margem de lucro específica, que muda de acordo com a área de atuação da empresa.

  • Lucro Real

Já no Lucro Real, a tributação ocorre sobre o lucro líquido de uma empresa em um determinado período. Para compreensão do valor, é necessário saber qual foi o lucro para realizar a base de cálculo do IRPJ e da CSLL. Os encargos podem aumentar ou diminuir, a depender do resultado obtido.

  • Simples Nacional

Oito tributos (IRPJ, CSLL, PIS/PASEP, Cofins, IPI, ICMS, ISS e CPP) são unidos em cálculo e pagamento na modalidade de tributação pelo Simples Nacional. Facilitando a gestão de impostos em clínicas médicas. No entanto, para que seja a opção mais vantajosa para o médico, deve-se analisá-la cuidadosamente, já que depende de diversos fatores.

Para calcular o percentual de impostos a ser pago, uma tabela que constantemente é atualizada deve ser verificada. Assim como a faixa bruta de receita que a empresa se encontra.

Apesar de auxiliar na gestão dos impostos, o Simples Nacional limita o retorno financeiro em até R$ 4,8 milhões anuais (informação atualizada em 2018).

É recomendado aos médicos buscar sempre o auxílio de um contador. Para que ele mostre as opções de tributações existentes e faça as simulações possíveis. Dessa forma, o profissional entenderá qual é a melhor opção para a sua atividade.

Ainda tem dúvidas? Deixe nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *